Textos

EXCERTOS DE LITERATURA:

Escrevo

Escrevo, porque a palavra encanta

Expressa o sentir e alimenta o ser

Escrevo, porque minh’alma pede

Minha escrita é modo de viver.

Catarse

O que nos move enquanto seres humanos é uma salutar mistura de racionalidade e sentimento.

Nem somente a fria razão, nem exagero de emoção, em um saudável equilíbrio.

Engolidos pelo andar acelerado da vida, os sentimentos não expressados vão se acumulando, inertes, e tornando a trajetória muito menos significativa, descolorida.

Por isso é importante que se realize uma catarse, uma liberação desses sentimentos.

É aí que entra a escrita.

Escrever não é somente um ato catártico, de liberação emocional.

É forma de eternizarmos a emoção que nos humaniza, gravando o carinho com tinta indelével não só no papel que o recebe, mas também nos corações dos interlocutores.

Expressar o que sentem: eis o segredo dos felizes.

Florescer

Honra o solo que te abriga

Florescendo onde for plantado

Prossegue no trabalho que educa

Sempre livre, altivo, delicado;

_

Dá sentido aos segundos da existência

Trabalhando intensamente no plantio

Humilde como a chuva que se une

Às águas revoltas de caudaloso rio.

Silêncio

Há períodos de nossas vidas marcados pelo silêncio. Uma calmaria incômoda, uma resignação artificial. Um silêncio que ecoa com todas as forças, escancarando a dor das perdas, dos prejuízos, das ausências…

Nesses períodos parece não haver progresso, não haver crescimento. Mas, na verdade, a forma como encaramos as fases de silêncio é que mostra o que verdadeiramente somos e sobretudo, o que temos capacidade de nos tornar.

A força com que resistimos à eloquência do silêncio denuncia qual a matéria prima de nossas fibras.

A semente permanece no escuro até estar pronta para germinar.

Ao invés de nos revoltarmos contra as fases de silêncio, lembremo-nos de que Mozart nos ensinou que a música não está nas notas, mas no silêncio entre elas.

Caixa de memórias

Abre tua caixa de memórias
Procura a lembrança mais dourada
Em busca da memória mais bonita
Em busca da memória mais prezada

É a lembrança de um momento fugidio
Efêmero tal qual flor delicada;
Ou talvez um momento duradouro
De memória oculta e desbotada

Ilumina os dias do presente
Resgatando a alegria do passado
Perdida em um sótão empoeirado…

Escolhe a melhor fotografia
E retorna ao trabalho, energizado
Abastecido de saudável nostalgia.